CineByte 02 – Imortais

Preparem-se para desligar o cerébro, uma OST no talo de tão alta e belas cenas de ação. Aqui no Fodabyte, um review sobre o filme Imortais, após o Continue Lendo!

Leitores, a sensação ao terminar de ver esse fime é bem fácil de se entender: deu pra divertir, mas que mediocridade em termos narrativos e de atuações.

O filme narra a história de Teseu, segundo a mitologia, um grande herói de grego. Entre seus vários feitos, o mais conhecido talvez tenha sido superar o labirinto de Creta e seu guardião o Minotauro. Como não sou profundo conhecedor da mitologia paro por aqui.

No filme Teseu é treinado por um idoso, que na verdade logo no começo do filme se revela como Zeus. Após as primeiras lutas Teseu conhece o Oráculo, uma linda mulher que pode prever o futuro. Aqui devo dizer, que sempre me pergunto porque a mais bonita sempre é a principal e como essas mocinhas sempre saem maquiadas das cenas de ação. Chatices minhas a parte, antes de conhecer o Oráculo, Teseu presencia a morte de sua mãe pelas mãos do cruel Rei Hyperion, o que motiva sua busca atrás de vingança.

Depois desse resuminho do filme devo dizer o seguinte, os atores até que se entregam, mas as atuações são fracas, ficou um tom meio canastrão, sessão da tarde mesmo. Mas em compensação as cenas de ação são bem realistas, cada espadada, flechada e escudada (existe essa palavra?) tem seu som adequado e temos realmente a sensação do impacto, sem falar que o sangue escorre sem dó. O som do filme é de explodir os tímpanos, cada efeito sonoro é altíssimo e na minha opinião é um ponto positivo, pois passa a sensação da batalha, mas tem quem não goste é claro.

Eu disse acima que as atuações não são grande coisa, e realmente não são, mas não por falta de entrega, eu acho, senti que o elenco tentava, mas o roteiro é realmente desorganizado e não utilizou a mitologia como ela realmente é, tem várias adaptações, que na verdade não compreendo, pois a história original é legal por si mesma.

Dois exemplos: os deuses imortais, não são imortais. Eles podem matar uns aos outros e também podem ser mortos pelos titãs. E os vilões finais? os titãs pareceram no começo que seriam malvadões e enormes, mas são todos magrelos (apesar de rápidos e fortes), iguais em termos físicos e de rosto, sem carisma e sem personalidade.

Parece que odiei o filme pelo review né? Mas não, até que gostei, porque sou fã de God of War (como eu queria um filme dessa franquia) e as lutas, principalmente dos deuses são de tirar o fôlego, com belos efeitos visuais, hora câmera lenta, logo em seguida uma super velocidade, lutas bem coreografadas, a parte de produção caprichou.

O ator que faz Teseu no filme, Henry Cavill será o próxima Superman ou Superhomem, nas telonas e mostrou até um certo carisma e competência, mas como o roteiro não ajudou nas falar, posso dizer que se saiu bem nas cenas de ação. Mickey Rourke fez bem o papel do Rei Hyperion, com direito a muitas cúspidas, parecendo aqueles treinadores de futebol americano, nas cenas de ação cumpriu bem seu papel, pois mais uma vez o roteiro não ajuda na atuação dramática.

Freida Pinto que faz o papel do Oráculo, seguiu uma atuação extremamente clichê, por conta do roteiro e como não tinha cenas de ação relevantes para ela, restou uma bela cena que ela vai perder seus poderes de prever o futuro e ter um lance com o Teseu. Óbvio e ululante! Cheguei até a comentar antes do filme com a minha namorada, ainda na fila que rolaria no mínimo uma cena de sexo, já é de praxe em filmes “épicos”.

O destaque feminino na minha opinião vai para a loirinha Isabel Lucas que interpreta a deusa Atena (essa o Seiya não precisaria defender), pois ela faz belas coreografias nas cenas de ação (ou sua dublê, dá no mesmo) e é muito linda!

O resto do elenco sem comentários, até o rapaz que faz o Zeus (Luke Evans), tem atuações que nem merecem nota.

Indo de encontro a comparação inevitável digo, o filme 300 é melhor. Mas não muuuuito melhor, os dois tem belas cenas de ação e isso na minha opinião vale o ingresso, mas diga-se, não vale o ingresso 3D que que eu paguei, pouquissimo uso dessa tecnologia de forma efetiva em todo o filme, parecia que eu estava vendo um filme normal. A única cena que não esqueci ainda que foi legal em 3D é a última do filme.

Encerrando amigos, recomendo assistir o filme, é um aceitável e divertido filme pipoca, mas desliguem o cerébro e ativem a audição e visão ao máximo, pois ai está a real virtude do filme.

Até a próxima!!!

Nível de Fodacidade: 7/10

(Immortals, 2011)

• Direção: Tarsem Singh
• Roteiro: Charley Parlapanides, Vlas Parlapanides
• Gênero: Ação/Drama/Fantasia
• Origem: Estados Unidos
• Duração: 110 minutos
• Tipo: Longa-metragem

• Sinopse: Um jovem príncipe guerreiro lidera seus homens em uma batalha contra o mal, onde deuses e soldados lutam contra demônios e titãs.

Trailer do Filme:

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s